Breve Histórico e Principais Coleções

  • armário
  • exsicata 2
  • campo
  • canga ufop
  • peit 1
  • schwacke
  • exsicata schwacke

No século XIX, foram implantados os primeiros herbários no Brasil: Herbário do Museu Nacional/ R (1808); Herbário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro/ RB (1890); Herbário da Escola de Farmácia de Ouro Preto/ OUPR (1891); Herbário Museu Paraense E. Goeldi/ MG (1895); Herbário D. Bento Pickel/ SPSF (1896) e Herbário da Escola de Minas/ EM (1900). Mesmo com inúmeras dificuldades, os acervos históricos mais antigos de Minas Gerais foram quase que totalmente preservados por diferentes pesquisadores em suas instituições originais.

Após a criação da Universidade Federal de Ouro Preto em 1969, tanto a Escola de Farmácia de Ouro Preto quanto a Escola de Minas, foram consideradas unidades acadêmicas e assim ambas coleções históricas passaram a ser patrimônio da UFOP.

Em 1986, com a inauguração do Campus Morro do Cruzeira da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e do Instituto de Ciências Exatas e Biológicas (ICEB), foi fundado o Herbário “Professor José Badini” (OUPR), onde foram incorporados os acervos dos Herbários da Escola de Farmácia e da Escola de Minas, optando-se na ocasião por manter o acrônimo OUPR em memória à mais antiga coleção botânica mineira.

Dentre as coleções importantes deste Herbário, figuram as de Carl August Wilhelm Schwacke, Leonidas Botelho Damazio, Álvaro A. da Silveira, Carlos Thomás Magalhães Gomes, Francisco de Assis Magalhães Gomes, Ducke, Costa Sena, Alfredo T. Baeta Neves, Mello Barreto, Campos Porto, Johan A. C. Löfgren, Jacinto Bruno de Godoy, Moacyr do Amaral Lisboa e José Badini.

O seu acervo atualmente é de aproximadamente 40.000 exsicatas, tanto da flora brasileira, como de espécies exóticas e contempla principalmente a flora da região de Ouro Preto e do Quadrilátero Ferrífero, com seus campos rupestres quartzíticos e ferruginosos.

Devido à especificidade da flora local, o Herbário OUPR conta com espécies tipus descritas, principalmente, pelos botânicos Álvaro A. da Silveira, Leonidas Botelho Damázio, Carl. August Wilhelm Schwacke, Moacyr do Amaral Lisboa e José Badini.

O Herbário “Professor José Badini” é cadastrado junto à Rede Brasileira de Herbário (http://www.botanica.org.br/) e Index Herbariorum (http://sciweb.nybg.org/science2/IndexHerbariorum.asp), o que contribui para a divulgação de seu acervo junto à comunidade científica, além de ser reconhecido como Fiel Depositário do Patrimônio Genético junto ao Ministério do Meio Ambiente (Deliberação no 61, D.O.U. 08/7/2004, seção 1, página 104).

O acervo passa atualmente pelo processo de informatização e seus dados poderão ser progressivamente consultados no site <http://inct.splink.org.br/>. Em 2010 o Herbário "Professor José Badini" uniu-se ao INCT (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia) e hoje integra a Rede"Herbário Virtual da Flora e de Fungos", junto a vários herbários nacionais e internacionais.

O Herbário OUPR mantém intercâmbio nacional e internacional com instituições congêneres, por intermédio de seu acervo científico por meio das seguintes modalidades:

  1. Doação por identificação - troca de duplicatas de plantas para identificação pelo especialista
  2. Permuta - troca de duplicata de plantas por duplicatas de outras plantas
  3. Empréstimo de plantas para estudos taxonômicos

 

Reconhecendo sua importância científica e cultural, o Herbário OUPR foi cadastrado como museu junto ao Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM, http://museus.cultura.gov.br/espaco/8487/) e também faz parte do Sistema de Museus de Ouro Preto (SiMop), além da Rede de Museus da UFOP. Para divulgar a história do Herbário OUPR foi realizada em 2018 a exposição "Memórias Naturais", como parte integrante da Semana Internacional de Museus. Os painéis foram expostos no ICEB, Escola de Farmácia, Museu da Escola de Farmácia e Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas. Caso queira conhecer essa história, veja nossa exposição virtual no arquivo abaixo:

 

memorias_naturais_2018.pdf11.53 MB